pai e filho a comer cereais

    Educação

    A importância do pequeno-almoço

    ZzZZZZZzzzz. Desculpe, acordámo-la? Todos conhecemos bem as tonturas logo a seguir ao acordar. Elas acontecem porque, durante a noite, o seu metabolismo fica mais lento. Mas não se preocupe: basta reabastecer para que comece logo a trabalhar! 

    O pequeno-almoço é a melhor maneira de começar o dia

    É recomendado começar o dia com uma refeição que forneça cerca de 20% da energia diária necessária. Deve também contribuir bastante para a ingestão diária de nutrientes, incluindo hidratos de carbono, vitaminas, minerais, proteínas e fibra. Ah, e as crianças precisam de ingerir ao pequeno-almoço até 25% da dose diária de cálcio.[1] Portanto, a função do pequeno-almoço é muito importante!

    uma mulher a secar a loiça depois do pequeno-almoço

    O que compõe um pequeno-almoço saudável?

    Um pequeno-almoço equilibrado ajuda-o a preparar-se para o dia. Escolha diferentes tipos de cereais, fruta e lacticínios para uma dieta equilibrada!

    Ler maisO que compõe um pequeno-almoço saudável?

    Quem perde o pequeno-almoço fica a perder!

    O pequeno-almoço ajuda a enfrentar o dia. Se não o tomar, está a perder todas as coisas boas de que precisa para dar o seu melhor. Talvez pense que pode obter o que necessita mais tarde, mas os estudos demonstram que se não ingerir os nutrientes certos logo de manhã, é difícil compensar ao longo do dia.[2]

    Sabia que?

    Estudos demonstram que quem toma o pequeno-almoço tende a fazer melhores escolhas alimentares e ingerir mais nutrientes do que quem não o faz.[3] Tão simples quanto isto!

    uma taça de cereais com mirtilos e framboesas

    Saltar o pequeno-almoço e emagrecer não são sinónimos

    O pequeno-almoço é uma refeição muito importante, mas é tomado de formas diferentes. Veja aqui uma lista de dez pequenos-almoços à volta do mundo.

    Ler maisSaltar o pequeno-almoço e emagrecer não são sinónimos

    Saltar o pequeno almoço e emagrecer não são sinónimos!

    uma mulher a olhar para um pacote de leite ao lado do frigorífico aberto

    Não tomar o pequeno-almoço não é uma forma eficaz de perder uns quilos. Porque se não ingerir os nutrientes de que precisa ao acordar, é provável que sinta fome à medida que a manhã passa.[4] E também é mais provável que coma qualquer coisa menos saudável quando a fome apertar! Existem estudos que demonstram que quem toma o pequeno-almoço tende a ter uma alimentação mais saudável do que quem não o faz.[5]

    Portanto, aí tem: o pequeno-almoço ajuda a começar muito bem o dia. Mesmo! Da próxima vez que vir alguém cheio de energia logo de manhã, talvez seja porque começou o dia com um pequeno-almoço nutritivo e equilibrado.

    Notas de rodapé

    1. O'Neil CE, Byrd-Bredbenner C, Hayes D et al (2014) The role of breakfast in health: definition and criteria for a quality breakfast. J Acad Nutr Diet. Dec;114(12 Suppl):S8-S26
    2. • Cho S, Dietrich M, Brown CJ et al (2003) The effect of breakfast type on total daily energy intake and body mass index:A Importância de um bom Pequeno-almoço | Cereais NestléJ Am Coll Nutr. Ago;22(4):296-302.• Serra Majem L et al (2004) Nutrición infantil y juvenile. Estudio enKid. Elsevier Espana: Volume 5.• Rampersaud GC, Pereira MA, Girard BL et al (2005) Breakfast habits, nutritional status, body weight, and academic performance in children and adolescents.performance académica em crianças e adolescentes. J Am Diet Assoc. Mai;105(5):743-60.
    3. Bertrais S, Polo Luque ML, Preziosi P et al (2000) Contribution of ready-to-eat cereals to nutrition intakes in French adults and relations with corpulence. Ann Nutr Metab. 44(5-6):249-55. • Albertson AM et al. (2001) Ready to eat cereal consumption habits of America adults: is there a relationship with body mass index? J Am Coll Nutr, 20: 585. • Albertson AM, Anderson GH, Crockett SJ et al (2003) Ready-to-eat cereal consumption: its relationship with BMI and nutrient intake of children aged 4 to 12 years. J Am Diet Assoc. 103:1613-19.
    4. Williams PG (2014) The benefits of breakfast cereal consumption: a systematic review of the evidence base. Adv Nutr. Sep 15;5(5):636S-673S.
    5. Preziosi P, Galan P, Deheeger M et al (1999) Breakfast type, daily nutrient intakes and vitamin and mineral status of French children, adolescents, and adults. J Am Coll Nutr. Apr;18(2):171-8.

    Vamos falar

    Nos países emergentes, os produtos Nestlé têm mais sal do que os produtos nos países desenvolvidos?

    Ao longo dos últimos 15 anos, empenhámo-nos em reduzir o sódio (que é o componente principal do sal) nos nossos cereais de pequeno-almoço em todo o mundo, pois queremos continuar a fazê-los mais nutritivos. Alcançar uma fórmula consistente em todos os produtos não se consegue do dia para a noite - por isso, é possível que alguns produtos contenham mais sódio do que outros. O nosso objetivo é que todos os nossos cereais – a nível global – tenham os mesmos níveis reduzidos de sódio, tendo como alvo menos de 135mg por dose em todos os nossos produtos para crianças.

    Quais são as vantagens nutricionais e para saúde dos Nestlé Corn Flakes Sem Glúten?

    Para além de serem uma opção saudável para quem quer reduzir a quantidade de glúten na sua dieta ou que têm doença celíaca ou intolerância ao glúten, os Corn Flakes Sem Glúten são também enriquecidos com vitaminas do complexo B, ácido fólico e ferro.

    Como posso encontrar alimentos feitos com cereais integrais?

    Duas coisas a reter: • Procure rótulos dos alimentos que incluam a palavra 'integral' à frente do nome do cereal, como “trigo integral” ou “pão integral”. • Para alimentos com mais de um ingrediente, certifique-se de que o cereal integral aparece no início da lista de ingredientes. Quanto mais no topo da lista, maior a percentagem de cereais integrais que foi usada na receita. E tenha atenção à percentagem de cereais integrais. Deverá encontrar esta informação também na lista de ingredientes.

    Ouvi dizer que uma dieta com um IG baixo me pode ajudar a perder peso. É verdade?

    É muito cedo para dizer ao certo. A ciência ainda está a dar os primeiros passos nesta área. Há provas de que os alimentos com baixo IG demoram mais a serem digeridos e o ajudam a sentir-se satisfeito durante mais tempo, mas não há nada que comprove que ingerirá menos calorias na refeição seguinte.